Este blog é dedicado a difundir as mensagens comunicadas nas Aparições de Jacareí-SP-Brasil, por meio do Vidente Marcos Tadeu Teixeira. Desde 1991, Nossa Senhora RAINHA E MENSAGEIRA DA PAZ, Nosso Senhor Jesus Cristo, São José, os Anjos e os Santos , fazem ao mundo um último apelo de conversão, reparação e oração. Essas Aparições que se prolongam por mais de 20 anos, é o último meio que o Senhor manda ao Mundo para que se converta e tenha paz.
"Imitai os meus videntes, os meus Santos que em toda a Sua Vida: Me amaram, Me serviram, sem colocar nenhuma restrição no seu amor por Mim!" (Maria Santíssima, Jacareí-SP, 25-05-2008)

" SEDE SANTOS, porque eu, o Senhor, vosso DEUS, sou Santo." (Levítico19, 2)

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Santa Jacinta de Fátima

Jacareí, 21 de março de 2010

"-Amados irmãos meus... Eu, JACINTA DE FÁTIMA, hoje saúdo-vos e dou-vos a Paz.
Amo-vos muito! Vós sois muitíssimo amados por Deus..., por Mim, por Maria Santíssima e por São José. Também sois muito amados pelo Meu irmão FRANCISCO e pela Minha priminha Lúcia que estão juntamente comigo hoje na Glória.
Sim, Nós rezamos por vós todos, todos diante de Deus sem cessar... Imploramos para vós Graça sobre Graça e Eu, desejo cada vez mais, levar-vos a perfeita união com o Senhor. União esta que só pode ser alcançada por meio de uma vida semelhante a que foi a Minha; de oração profunda, de penitência, de sacrifício, de esvaziamento de si mesmo e de profunda e total entrega nas Mãos de Deus, ao Seu amor para poder colaborar com Sua Graça transformadora.
A vossa vida deve ser em tudo semelhante a Minha. Deve ser uma vida de consagração TOTAL  à Mãe de Deus e ao Senhor ajudando assim, a realizar o plano que Eles traçaram sobre vós e o mundo todo e que culminará com a realização das promessas e profecias de Fátima com o Triunfo final do Senhor e de Sua Mãe sobre o mundo inteiro.
A vossa vida deve ser um contínuo sim que deve ser renovado em todos os momentos; quer de tristeza, quer de alegria, quer de prosperidade, quer de sofrimento e pobreza ...
Deveis a todo o momento, entregar-vos ao Senhor de contínuo para que a Sua Graça também de contínuo possa conduzir-vos cada vez mais ao perfeito cumprimento da vontade do Senhor, de Seu Divino desígnio de Amor que a todos vós quer salvar, e salvar o mundo inteiro...
Como vós bem sabeis, e o meu predileto Marcos já vos contou aqui tantas vezes, Eu sofri muito..., padeci dores terríveis no meu corpo e na minha alma quer pela perseguição que sofri com Francisco e Lúcia por causa das Aparições de Maria Santíssima a Nós na Cova da Iria, quer depois pela doença prolongada que Deus nos mandou para expiar os pecados do mundo e para alcançar a salvação dos pecadores... Todos aqueles sofrimentos, foram também por amor á vós; e Eu os ofereci por vós sem saber, sem conhecer-vos, sem imaginar à quem a Doce Senhora da Azinheira iria aplicar os méritos deles.
Todos os meus sofrimentos foram por amor a vós, a vós que sois os filhos amados da Virgem Santíssima e que Ela quer salvar, santificar, custe o que custar, para maior Glória do Pai, para maior salvação do mundo e vossa, para maior exaltação do nome de Cristo e da Santa Fé Católica. Vós portanto, sois fruto do Meu sofrimento, vós sois frutos do Meu Martírio porque Eu fui uma pequena Mártir que consumi-me no sofrimento e no amor por Cristo, por Sua Mãe, pela Santa Fé Católica e também por vós!
Quanto vos amei... Quanto desejei a vossa salvação... Quanto rezei por vós, e assim a minha oração, ultrapassou os anos, as décadas e vos alcançou! Vos alcançou a salvação, vos alcançou a Graça de serdes atraídos por Maria Santíssima aqui para conhecerdes o Amor Dela, provar de Seu amor, receber de Seu amor e serdes salvos por Este Amor...
Quero pegar na vossa Mão! Quero conduzir-vos todos à Deus tal como uma vez Eu peguei na Mão de um jovem que estava perdido numa floresta, depois de ter fugido de casa e brigado com seu pai, e tomando-o docilmente pela mão o conduzi até a estrada certa que o levaria de volta a casa do pai. Assim, quero tomar a vossa mão! Conduzir-vos pela estrada certa que vos fará voltar à Casa do Pai Celeste que vos espera a todos com o Coração e os braços abertos para vos amar, vos salvar, vos dar a Sua salvação, tornar-vos participantes de Sua infinita felicidade, de Sua Eterna Glória.
Quero tomar-vos pela  mão e conduzir-vos de volta a cada do Pai para que assim, a alegria da Mãe, Maria Santíssima, ao ver-vos todos regressardes à Casa do Pai convertidos, purificados, santificados, seja completa!
A vossa reconciliação com o Pai será a maior alegria da Mãe Celeste e Eu quero e posso conduzir-vos de volta pelo caminho certo até a casa do Pai para que assim a Senhora, a Nossa Mãe, não sofra mais... E então, o Seu Coração Imaculado seja consolado e alegrado pela vossa conversão, pela vossa alma purificada, embelezada, perfumada, inundada repleta do amor de Deus.
Dai- me  vossa mão e Eu a pegarei e vos levarei ao Céu, ao Pai, à Casa da Mãe Celeste que a todos vos chama a regressardes aos Braços do Pai já a 19 (dezenove) anos aqui, sem cessar!
Aqui cumprir-se-ão os planos, os segredos iniciados em Fátima. E a santidade à qual Nós fomos elevados pelas Aparições de Nossa Senhora, Nós os Pastorinhos, é um sinal , é um exemplo para vós daquela consumada santidade a qual todos vós sois chamados e a qual Ela quer conduzir todos vós pelas Aparições Dela Aqui.
É grande a tarefa... é árdua a missão, a empresa é de tal envergadura que somente os corajosos, somente os esvaziados totalmente de si mesmos, somente os destemidos, os intrépidos, aqueles que não tem medo de amar e de se entregar ao Amor de Deus, somente esses, conseguirão atingir esta santidade consumada, a qual vós fostes chamados aqui e a qual estais destinados desde sempre.
Quem fracassará? Quem colocará tudo a perder? Quem frustrará o Plano excelso da Mãe de Deus? Só aqueles que tiverem medo de amar e de se entregar ao amor de Deus; os covardes, os languidos, os egoístas, os que se amam mais do que até Deus. Aqueles que não se dobram e que estão sempre a ouvir sem nunca jamais chegar a conhecer nem a amar...
Aqueles que se recusam a querer o conhecimento. Aqueles que se recusam a querer o amor. Aqueles que se recusam a crescer, a voar no Céu do amor como asas  porque preferem estar presos as coisas da terra pelos fios dos amores materiais e temporais que ainda os mantém todos rastejando na terra. Somente estes, frustrarão os planos da Senhora.
Mas ainda assim, Ela Triunfará porque Ela está acima de todos aqueles que não sabem amar o amor de Deus pois o SIM Dela sobrepujou a resposta de todas as almas, tanto as negativas quanto as positivas ao amor e ao chamado de Deus e desde que Ela deu o Seu Sim, o mal, o pecado, o medo, o egoísmo, o apego temporal e terreno, deixou de ter a palavra final sobre os acontecimentos da história do mundo.
Pelo Sim da Virgem Maria, pelo amor com o qual Ela se entregou completamente a Deus para fazer a Sua vontade, a resposta final será e é sempre Dela, pois assim o decretou o Senhor, que todas as Gerações não somente A chamarão Bem Aventurada mas todas as gerações A proclamarão a ÚNICA BEM AVENTURADA e também, todos os Seus inimigos estarão em escabelo de Seus pés e Ela esmagará a cabeça da serpente e de todos aqueles que são semelhantes a Ela por seu egoísmo, rebeldia e resistência ao amor de Deus, Ela esmagará SEMPRE a cabeça de todos os que são semelhantes a antiga serpente.
Por isso, tende confiança! O CORAÇÃO IMACULADO DE MARIA TRIUNFARÁ, e aqueles que são semelhantes a Ela pelo amor, pela humildade, pela entrega total ao Senhor, pela coragem em servi-Lo afrontando mesmo o sofrimento como Ela sempre afrontou, esses triunfarão porque a Glória da Mãe é também a Glória dos filhos, e a Vitória da Mãe é também a Vitória dos filhos!
Como se diz na Sagrada Escritura: ”...Seus filhos vestem vestidos forrados por dentro e por fora...(Pro.31)” como os Dela, ou seja, tem as mesmas virtudes que Ela por dentro e por fora e por serem tão semelhantes a  Ela terão a mesma vitória extraordinária que Ela.
Eu Quero ajudar-vos e por meio do Santo Rosário vou alcançar êxito com todos aqueles que docilmente se entregarem a mim. Em cada conta do Santo Rosário Eu estou rezando convosco, alcançando para vós aquilo que não conseguis e sobretudo unindo-vos cada vez mais com a Senhora e com Deus para que todos sejamos um só no amor com Eles.
A todos, neste momento abençôo de Fátima, de Aljustrel* e daqui de Jacareí...”

*cidade onde nasceu a Santa Jacinta de Fátima no dia 11 de março de 1910.


Santa Jacinta rogai por nós!

Santa Jacinta Marto, vidente de Fátima

Jacinta, a sétima filha do casal Manuel Pedro Marto e Olímpia de Jesus dos Santos, nasceu no lugar de Aljustrel, paróquia de Fátima, no dia 11 de Março de 1910. No dia 19 do mesmo mês recebeu a graça do Baptismo.
Os seus pais, que eram humildes agricultores e piedosos cristãos, deram-lhe uma sã educação moral e religiosa. Desde tenra idade mostrou o gosto pela oração, a preocupação pelas verdades da fé, prudência na escolha das amizades e um sereno espírito de obediência. De índole vivaz, expansiva e alegre, gostava de brincar e bailar; cativava a simpatia dos outros, se bem que tivesse certa inclinação a dominar e a não ser contrariada tanto que facilmente amuava e era ciosa do que lhe pertencia. Todavia, depois mudou completamente e tornou-se um modelo esplêndido de humildade, de mortificação e de generosidade.
Logo que pôde, começou a trabalhar; em particular foi encarregada de acompanhar o irmão Francisco, um pouco mais velho do que ela, no pastoreio do rebanho. Ambos gostavam de se juntar com a prima Lúcia de Jesus dos Santos, que era também pastora de ovelhas. Deste modo as três crianças, unidas por uma grande amizade, passavam o dia inteiro nesta actividade, que, apesar de custosa, eles executavam diligentemente e com prazer, porque lhes deixava tempo para brincar e para rezar e lhes permitia usufruir das belezas da natureza.
O que inesperadamente lhes mudou a vida, deu-se no ano de 1916: eles disseram ter visto três vezes um anjo que os exortava a rezar e a fazer penitência pela remissão dos pecados e para obter a conversão dos pecadores. A partir deste momento; a pequena Jacinta aproveitava todas as ocasiões para fazer o que o anjo lhe pedira.
Desde o dia 13 de Maio até ao dia 13 de Outubro de 1917, juntamente com Francisco e Lúcia, teve o privilégio de ver várias vezes a Virgem Maria no lugar chamado Cova da Iria, perto de Fátima. Cheia de alegria e gratidão pelo dom recebido, quis imediatamente responder com todas as forças à exortação da Virgem Maria que lhes pedia orações e sacrifícios em reparação dos pecados que ofendem a Deus e o Imaculado Coração de Maria e pela conversão dos pecadores.
Ao mesmo tempo dócil à acção da graça, separou-se das coisas terrenas, a fim de se voltar para as coisas celestes e voluntariamente consagrou a sua vida para entrar um dia no paraíso. Estava constantemente mergulhada na contemplação de Deus, em colóquio íntimo com Ele. Procurava o silêncio e a solidão e de noite levantava-se da cama para rezar e livremente expressar o seu amor ao Senhor. Em pouco tempo, a sua vida interior se notabilizou por uma grande fé e por uma enorme caridade.
A propósito disto dizia: «Gosto tanto de Nosso Senhor! Por vezes julgo ter um fogo no peito, mas que não me queima». Gostava muito de contemplar Cristo Crucificado e comovia-se até às lágrimas ao ouvir a narração da Paixão. Então afirmava já não querer cometer pecados para não fazer sofrer Jesus. Alimentou uma ardente devoção à Eucaristia, que visitava frequentemente e durante longo tempo na igreja paroquial, escondendo-se no púlpito, onde ninguém a pudesse ver e distrair.
Desejava alimentar-se do Corpo de Cristo mas isso não lhe foi permitido por causa da idade. Encontrava contudo consolação na comunhão espiritual. De igual modo honrou a Virgem Maria, com um amor terno, filial e alegre e constantemente correspondeu às suas palavras e desejos; muitas vezes honrava-a com a recitação do rosário e com piedosas jaculatórias.
O seu desejo de sofrer tornou-se mais notório durante a longa e grave doença que a atingiu a partir de Outubro do ano de 1918. Contaminada pela epidemia bronco-pulmonar, a que chamavam «espanhola», o seu estado de saúde agravou-se a pouco e pouco, de tal forma que teve de suportar a ideia de ter de ser operada. Sabendo que lhe restava pouco tempo de vida, multiplicou os sacrifícios, as penitências e as privações de forma a cooperar até ao máximo das suas possibilidades na obra da Redenção. Porém, o que lhe custou mais foi o ter de deixar a família a fim de ser tratada num hospital. Prevendo morrer sozinha, isto é, longe dos seus queridos familiares, disse: «Ó meu Jesus, agora podes converter muitos pecadores, porque este sacrifício é muito grande!».
No dia 20 de Fevereiro do ano de 1920 pediu os Sacramentos. Apenas recebeu o Sacramento da Penitência: consciente de estar próxima da morte, pediu o Sagrado Viático, mas o sacerdote, não obstante as suas insistências, adiou-o para o dia seguinte.
Naquele mesmo dia à noite, longe dos pais e dos conhecidos, morreu no hospital de Lisboa, onde desde há algum tempo se encontrava internada. Alcançara finalmente a meta dos seus desejos: a vida eterna.