Este blog é dedicado a difundir as mensagens comunicadas nas Aparições de Jacareí-SP-Brasil, por meio do Vidente Marcos Tadeu Teixeira. Desde 1991, Nossa Senhora RAINHA E MENSAGEIRA DA PAZ, Nosso Senhor Jesus Cristo, São José, os Anjos e os Santos , fazem ao mundo um último apelo de conversão, reparação e oração. Essas Aparições que se prolongam por mais de 20 anos, é o último meio que o Senhor manda ao Mundo para que se converta e tenha paz.
"Imitai os meus videntes, os meus Santos que em toda a Sua Vida: Me amaram, Me serviram, sem colocar nenhuma restrição no seu amor por Mim!" (Maria Santíssima, Jacareí-SP, 25-05-2008)

" SEDE SANTOS, porque eu, o Senhor, vosso DEUS, sou Santo." (Levítico19, 2)

sexta-feira, 15 de junho de 2012

15 DE JUNHO- DIA DE SÃO VITO (VITOR)


JACAREÍ, 09 DE NOVEMBRO DE 2008
CAPELA DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ – SP – BRASIL
MENSAGEM DE SÃO VÍTOR ou SÃO VITO COMUNICADA AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA
 

"-Amado Marcos, Eu Sou SÃO VÍTOR, servo de DEUS e da VIRGEM IMACULADA. Amo-te imensamente, protejo-o e guardo-o sem cessar debaixo de Meu Manto. Inspiro-te, conduzo-te pela estrada do Perfeito Amor, daConsagração total e plena aos SACRATÍSSIMOS CORAÇÔES na estrada do beneplácito do Altíssimo. Amo-vos a todos que estais Aqui, Sou o protetor de todos os peregrinos que vem a este Santuário para rezar e que se esforçam por obedecer as Mensagens dos SAGRADOS CORAÇÔES deste Lugar Eleito. Aqui, neste Lugar que o Céu amou e reservou para si, neste Lugar que DEUS consagrou para a Sua Mãe e para Ele, as graças para vós, são concedidas sem limite de saque, podereis recolher quanto puderdes carregar! Acontece, que a vossa vida espiritual não melhora, porque vós não tendes o coração bem disposto diante da Graça de DEUS, ou seja; resolvido a renunciar ao que se precisa renunciar, a deixar o que precisa ser deixado, a dar aquilo que precisa ser dado e a entregar ao SENHOR aquilo que pertence a Ele por direito e vós deveis Lhe restituir. Desta forma, muitas Graças para vós não são concedidas... Foi isto mesmo que a SANTÍSSIMA VIRGEM disse à Santa Catarina Labouré e também ao Marcos Tadeu: Muitas Graças, muitos raios luminosos não saem dos dedos da SANTÍSSIMA VIRGEM, porque são Graças que não são concedidas, porque os seres humanos não as querem... Não querem as Graças de santificação, não querem as graças de perfeição espiritual, não querem as Graças que elevam a alma da condição da bruta criatura animal, para transfigurá-la e transformá-la à imagem e semelhança de seu DEUS. Desta forma, muitas Graças não saem das Mãos da SANTÍSSIMA VIRGEM, porque os homens não as querem... Não sejais do número desses estultos e obtusos de coração e entendimento... Procurai ser do número daqueles que usando bem o dom do entendimento, da sabedoria, da piedade, do santo temor de DEUS procuram o que verdadeiramente é necessário deixando o supérfluo de lado... Nada é mais necessário para vós do que pedir, que seja feita em vossa vida a vontade de DEUS, que ameis a DEUS de todo o coração e saibais agradá-Lo e dar-Lhe contentamento. Este é o único e principal objetivo da vossa existência neste mundo:AMAR A DEUS DE TODO O CORAÇÃO... COM TODAS AS FORÇAS... DE TODO O ENTENDIMENTO... DE TODA A ALMA... E AMAR TAMBÉM A SUA MÃE COMO ELE AMOU... E COMO ESPERA QUE VÓS A AMEIS! Eu dei a Minha vida por CRISTO muito jovem, Eu não hesitei em entregar a Minha vida a quem a queria tirar, quando tive que dar testemunho de CRISTO, Eu testemunhei com a Minha vida mais do que com as palavras. Sede vós assim também, procurai com a vossa vida mostrar a este mundo confuso e perdido na apostasia, na violência, nos erros, nos pecados, nas trevas da escuridão A LUZ DO SENHOR! Se vós fordes estes fachos de luz, em breve as trevas de Satanás nesta humanidade serão aniquiladas e o mundo conhecerá o novo Tempo de Graça, que já está chegando... O Tempo do TRIUNFO DOS CORAÇÕES UNIDOS DE JESUS, MARIA E JOSÉ! Continuai com todas as orações que aqui vos foram dadas, porque somente por meio destas orações, vós podereis chegar a vos enamorardes das Mensagens dos SAGRADOS CORAÇÕES e chegar então: ao Perfeito Amor, à Santidade, à Perfeita alegria. Se vós fizerdes o que vos disse, prometo ajudar-vos, prometo fazer tudo o que puder para levar vossas almas para o Céu... Mas não traiais o Meu Amor, não traiais a confiança que ponho em vós, não traiais a esperança que coloco em vós de que vós Me seguireis e obedecereis o que vos disse. Pois, se isso fizerdes, terei de abandonar-vos a mercê da tirania do demônio. A todos dou a Paz e abençôo neste instante...”


São Vito Século III e IV Vito nasceu no final do século III, na antiga cidade de Mazara, na Sicília ocidental, numa família pagã, muito rica e de nobre estirpe. Sua mãe morreu quando ele tinha tenra idade e seu pai, Halaz, contratou uma ama, Crescência, para cuidar do pequenino. Ela era cristã, viúva e tinha perdido o único filho havia pouco tempo, era de linhagem nobre, mas em decadência financeira. Ele ainda providenciou um professor, chamado Modesto, para instruir e formar seu herdeiro. Entretanto, o professor também era cristão. Halaz era um obstinado pagão que encarava o cristianismo como inimigo a ser combatido. Por isso Modesto e Crescência nunca revelaram que eram seguidores de Cristo, contudo educaram o menino dentro da religião. Dessa forma, aos doze anos, embora clandestinamente, Vito já estava batizado e demonstrava identificação total com os ensinamentos de Jesus. Ao saber do batismo, o pai tentou convencê-lo a abandonar a fé, o que não deu resultado. Halaz partiu para a força e castigou o próprio filho, entregando-o, então, ao governador Valeriano, que o encarcerou e maltratou por vários dias, tentando fazer Vito abdicar de sua fé. Modesto e Crescência, entretanto, conseguiram arquitetar uma fuga e, segundo a tradição, com a ajuda de um anjo, tiraram Vito das mãos do poderoso governador. Fugiram os três para Lucânia, em Nápoles, onde esperavam encontrar paz. Mas depois de algum tempo foram reconhecidos e passaram a viver de cidade em cidade, fugindo dos algozes. Neste período, Vito, que desde os sete anos havia manifestado dons especiais, patrocinou muitos prodígios. Como o mais célebre deles, lembrado pela tradição, quando ele ressuscitou, em nome de Jesus, um garoto que tinha sido estraçalhado por cães raivosos. A perseguição a eles teve uma trégua apenas quando o filho epilético do imperador Diocleciano ficou muito doente. O soberano, tendo conhecimento dos dons de Vito, mandou que o trouxessem vivo à sua presença. Na oportunidade, pediu que ele intercedesse por seu filho. Vito, então, rezou com todo fervor e em nome de Jesus foi logo atendido. Porém Diocleciano pagou com a traição. Mandou prender Vito, que não aceitou renegar a fé em Cristo para ser libertado. Diante da negativa, foi condenado à morte, que ocorreu no dia 15 de junho, possivelmente de 304, depois de muitas torturas, quando ele tinha apenas quinze anos de idade. Esta narrativa é tão antiga que alguns acontecimentos podem ser, em parte, apenas uma vigorosa tradição cristã. Como esta outra que diz que Vito, Modesto e Crescência teriam sido levados diante da multidão no Circo, submetidos a torturas violentíssimas e, finalmente, jogados aos cães raivosos. Entretanto, um milagre os salvou. Os cães, em vez de atacá-los, deitaram-se aos seus pés. Irado, o sanguinário Diocleciano mandou que fossem colocados dentro de um caldeirão com óleo quente, onde morreram lentamente. O jovem mártir Vito existiu conforme consta no Martirológio Gerominiano, enquanto Modesto e Crescência só foram incluídos no calendário da Igreja no século XI. Suas relíquias, que depois de sua morte foram sepultadas em Roma, em 755 foram enviadas para Paris. Mais tarde, foram entregues ao santo rei da Boêmia, Venceslau, que era muito devoto do santo. Em 958, esse rei fez construir a belíssima catedral que leva o nome de São Vito e que conserva suas relíquias até hoje. Desde a Idade Média, ele é considerado um dos "quatorze santos auxiliares", os santos cuja intercessão é muito eficaz em ocasiões específicas e para cura determinada. No caso de são Vito, principalmente na Europa, é invocado para a cura da epilepsia, da "coréia", doença conhecida popularmente como "dança de São Vito", e da mordida de cão raivoso. Além de ser padroeiro de muitas localidades.